terça-feira, 30 de novembro de 2010

TAM operar normalmente

A TAM operou normalmente nesta terça-feira, após apresentar atrasos e cancelamentos acima da média durante o domingo e a segunda-feira. No Acre voos permanecem regulares.

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), até as 20h a companhia registrou atraso em 12% e cancelamento em 5,2% dos 717 voos. Em todos os 2.137 voos domésticos programados no país no mesmo período, ocorreram 13% de atrasos e 5,4% de cancelamentos.

Por causa dos transtornos que começaram no fim de semana, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu nesta segunda-feira a venda de bilhetes da TAM até a próxima sexta-feira. De acordo com a agência, a medida foi adotada a fim de evitar mais problemas para os passageiros.

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Campanha de prevenção e luta contra Aids busca desconstruir preconceitos

Secretarias estadual e municipal de Saúde promovem programação variada para comemorar o Dia Internacional de Luta contra a Aids

Em primeiro de dezembro é celebrado o Dia Internacional de Luta Contra a Aids. No Acre, as secretarias estadual e municipal de Saúde promovem, no período de 29 a 03 de dezembro, uma programação variada para comemorar a data. Este ano, a campanha busca conscientizar os jovens, mulheres e homens com idade de 15 a 24 anos, dando prioridade às populações das classes C, D e E.

Dentre os objetivos da campanha estão o combate ao estigma e à discriminação que recaem sobre as pessoas que vivem com HIV/Aids; mostrar a proximidade da Aids no universo dos jovens; além de dar visibilidade às questões do viver com HIV/Aids.

As peças publicitárias terão como foco a desconstrução do preconceito contra quem vive com o vírus e com a doença, e trazem como título: "Uma dessas pessoas tem Aids. E pode não ser quem você pensa. A Aids não tem preconceito. Você também não deve ter".

Jovens do grupo gestor da Saúde e Prevenção na Escola (SPE) participam das comemorações desenvolvendo várias ações, para os alunos das escolas da Capital e do interior, como Cine clube, oficinas, palestras e roda de conversa.

A "Campanha Fique Sabendo" é uma ação continuada de combate e prevenção e, também, está inserida na programação das festividades, oferecendo à população teste rápido para diagnóstico do HIV.

Os interessados em fazer o teste terão os serviços em vários locais da cidade, como no Terminal Urbano, no Centro de Atendimento Anônimo (CTA) Estadual e Municipal, Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do Bairro Triângulo, nos Centros de Saúde Eduardo Asmar, Francisco Roney Meireles, Centro de Saúde do Bairro Placas e no Hospital Dr. Ary Rodrigues, em Senador Guiomard. O horário de atendimento é das 8h às 12h e 14h às 17h.

Para a gerente da Divisão de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids (DST/HIV), Francimary Muniz, é importante que a população busque informações sobre a doença e verifique seu estado de saúde. A "Campanha Fique Sabendo" objetiva estimular a realização do teste de HIV e reduzir o diagnóstico tardio da doença.

"O teste para a detecção do vírus é gratuito e está disponível na rede pública de saúde. Se o diagnóstico for positivo, a pessoa não precisa entrar em desespero, o governo oferece tratamento e os portadores de HIV têm acesso imediato à assistência, o que lhe garante melhor qualidade de vida. No caso do diagnóstico negativo, a pessoa tem a oportunidade de adotar ou continuar a praticar o sexo com segurança" - orienta a gerente.

Francimary diz ainda que é importante que todos conheçam a diferença entre o vírus (HIV) e a doença (Aids).O vírus tem um longo período de incubação antes do surgimento dos sintomas da doença, infecção das células do sangue e do sistema nervoso. Por isso, uma pessoa pode ser portadora do vírus sem necessariamente estar com Aids.

Já a doença é considerada crônica, não tem cura, mas tem tratamento, de maneira que uma pessoa com Aids pode viver com o vírus por um longo período, sem apresentar nenhum sintoma. Quanto mais cedo for detectada a presença do vírus, mais eficiente será o tratamento.

Os índices no Acre mostram que de 1997 a 2010 houve 520 casos de Aids registrados; 305 homens e 215 mulheres; destes, foram a óbito 206 pessoas. Neste registro a faixa etária predominante é de 15 a 34 anos. Os números de infectados pelo vírus podem ser bem maiores, uma vez que não há possibilidade de identificá-los.

Na divisão por municípios, Acrelândia possui 5 casos, Brasiléia 8, Bujari 1, Capixaba 2, Cruzeiro do Sul 13, Epitaciolândia 4, Manuel Urbano 13, Marechal Thaumaturgo 1, Plácido de Castro 8, Porto Walter 1, Rio Branco 427, Rodrigues Alves 2, Sena Madureira 18, Senador Guiomard 13, Tarauacá 2 e Xapurí 2 casos.

Programação:

Dia 1º, quarta-feira, às 16h, será realizada a inauguração do "Cantinho da Prevenção", no Colégio Estadual Barão do Rio Branco, em seguida haverá uma passeata, na qual participam o grupo da terceira idade do Serviço Social do Comercio (Sesc), os alunos das escolas de Ensino Médio, os membros da Educação para Jovens e Adultos (Eja), representantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), do Centro de Educação Técnica e Especializada do Acre (Ceteac) e a população em geral.

A concentração será na Praça Plácido de Castro, saindo da Av. Getúlio Vargas, seguindo pela Rua Rui Barbosa e finalizando no Terminal Urbano. Todos estarão com camisas padronizadas, nas cores branca, roxa ou verde. Na ocasião serão distribuídos balões, materiais informativos e preservativos.

Ainda na quarta-feira, na Praça Plácido de Castro, a partir das 19h, haverá exibição do filme "A Cura", organizado pelo Centro de Referência Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT).

Na quinta-feira, 2, as atividades de conscientização continuam nas escolas de ensino médio. Já na sexta-feira, 3, na Praça da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), a população conta com a apresentação do Grupo Forrozeiro do Acre, com Chico da Leia e seus componentes, enquanto é feita a distribuição de material informativo e preservativos.

Assessoria Sesacre

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Ministério da Justiça vem ao Acre para conhecer o projeto SIGO

Ação faz parte de iniciativa do Ministério para integrar todos os estados do Brasil com um único sistema de busca para presídios

reuniao_segurana_foto_angela_peres_03.jpg
Ministério da Justiça realiza visita técnica na Secretaria de Segurança Pública (Foto: Angela Peres/Secom)
Representantes do Ministério da Justiça realizaram na manhã dessa terça-feira, 30, uma visita técnica junto a Secretaria Estadual de Segurança Pública, no auditório da Secretaria de Gestão Administrativa, para conhecer o sistema de segurança pública no estado do Acre, além de entenderem o funcionamento do Sistema Integrado de Gestão Operacional, o SIGO. A visita acontece num momento em que o Ministério da Justiça planeja instalar um sistema integrado para segurança em todo o Brasil.

O SIGO é um software que permite criar e organizar bancos de dados, padronizar e agilizar ações e procedimentos de enfrentamento à violência. Ele possibilita a identificação instantânea de áreas, bairros, datas e horários críticos em termos de criminalidade com significativa redução do tempo de ação e dos custos da estrutura policial. Além disso, consulta dados de detentos e integra polícias Federal, Rodoviária Federal, PM, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, além do Detran, sendo um projeto pioneiro em todo o Brasil.

Recentemente, foi firmado um convênio entre a Secretaria Estadual de Segurança e o Tribunal de Justiça para que o SIGO também compartilhe informações com o Sistema de Automação da Justiça, o SAJ, que permite troca de informações sobre cada indivíduo em conflito com a lei aumentando a eficácia no combate à violência e à criminalidade. “O SIGO é uma grande ferramenta que nos possibilita trabalhar integrados. Uma tecnologia que é um diferencial em gestão integrada com resultados bastante eficazes”, explica a Secretaria de Segurança, Márcia Regina.

O Ministério da Justiça está discutindo em vários estados do Brasil uma forma de realizar um cadastro nacional de informações de criminosos. “O primeiro estado que estamos vindo é o Acre pelo sucesso com o sistema que o estado já apresenta”, conta Maria Augusta Assirati, do Gabinete do Ministério da Justiça. A ideia é criar um sistema nacional de cadastro de prisões para que todos os estados possam dividir essas informações.

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Binho entrega casas do programa Minha Morada

Moradores de área de risco, famílias com idosos e portadores de necessidades especiais e mulheres chefes de família são as prioridades

1entrega_minha_morada_andiroba_foto_gleilson_miranda_04.jpg
1entrega_minha_morada_andiroba_foto_gleilson_miranda_10.jpg
1entrega_minha_morada_andiroba_foto_gleilson_miranda_33.jpg
Na manhã desta terça-feira o governador Binho Marques fez a entrega oficial da chave de 43 casas nos loteamentos Andiroba e Copaíba (Fotos: Gleilson Miranda/Secom)
O Minha Morada é o principal programa habitacional do Acre. Mas não é apenas a residência em si. Trata-se de um conjunto de obras e ações que o fazem um dos mais importantes programas de inclusão social do governo Binho Marques. Passado o período eleitoral, a Secretaria de Habitação de Interesse Social retoma a entrega de casas do Minha Morada. Na manhã desta terça-feira, 30, foram repassadas 43 casas nos loteamentos Andiroba e Copaíba, no bairro Tancredo Neves, numa cerimônia marcada pela emoção e alegria de dezenas de famílias que moravam em área de risco ou viviam de aluguel numa situação difícil. "Não existe alegria maior no mundo que seja a nossa família e a casa é o nosso abrigo", disse o governador Binho Marques ao ressaltar às famílias beneficiárias a importância de um lar na formação das pessoas, da comunidade e da sociedade. Apenas nesses dois loteamentos foram investidos mais de R$ 6 milhões.

Incluindo também nas Zonas de Atendimento Prioritário (ZAPs) o governo está destinando 10 mil unidades habitacionais para pessoas de baixa renda no Acre, e integra o programa do Governo Federal Minha Casa, Minha Vida para atingir a meta. Com a urbanização, dezenas de famílias recebem casas em melhores condições ou podem realizar alguma intervenção nas atuais. "É uma benção de Deus uma casa como essa. Moramos só eu e meus dois filhos, há seis anos de aluguel, e essa casa é tudo o que eu pedi a Deus", disse Cândida Figueiredo da Silva, que está se mudando definitivamente da situação de risco em que vivia na Baixada Pantanal, no bairro da Conquista, área de influência da ZAP 3, contemplada nos dois loteamentos do Tancredo Neves. A localização dos residenciais leva em conta acesso ao transporte coletivo, saúde, educação e aos demais serviços básicos.

O programa procurou desenvolver seus projetos e plantas de habitação considerando o clima quente-úmido da região de floresta, valorizando a ventilação natural e protegendo as casas do acúmulo de calor, do rigor das chuvas e do sol intenso. De acordo com a cartilha do programa, "uma arquitetura pautada na simplicidade, mas pensada de acordo com os costumes e a realidade da Amazônia, garantindo mais conforto, segurança e as necessidades básicas de uma família".

Durante a cerimônia de entrega das casas, o governador Binho Marques plantou uma muda de andiroba como símbolo de que o futuro das crianças das famílias atendidas será agora construído dentro de um lar em situação de segurança e equilíbrio, já que irá contar com todos os serviços de Estado. No Loteamento Copaíba, há uma Área Institucional, onde serão construídos núcleos de várias secretarias de governo para atendimento direto à comunidade. Estiveram presentes os secretários Gilberto Siqueira (Planejamento e Habitação), Maria Correa (Educação), o vice-prefeito de Rio Branco, Eduardo Farias; o presidente da Câmara de Vereadores, Elias Campos; o presidente da União dos Moradores de Rio Branco (Umarb) e membro do Conselho Estadual de Habitação, Gilson Albuquerque; o comandante-geral da Polícia Militar, Romário Célio; o líder do Governo na Assembleia Legislativa, Moisés Diniz; técnicos, empresários e envolvidos na política habitacional e ação social do Acre.

1entrega_minha_morada_andiroba_foto_gleilson_miranda_00.jpg
Moradores receberam a chave e comemoraram a conquista da casa própria (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Vida nova para as famílias

candida_entrega_minha_morada_andiroba_foto_gleilson_miranda_26.jpg
São dez mil unidades habitacionais e mais seis mil financiamentos para reformas que vão beneficiar 16 mil famílias (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Neste primeiro momento, equipes de ação social e técnicos da construção civil prestarão apoio aos moradores para que ao se mudarem tudo esteja funcionamento normalmente nas casas. Se a residência precisar de algum reparo, as equipes estarão prontas para realizar o serviço. As casas do Programa Social de Habitação (PSH) são construídas 100% com recursos do Governo do Acre. São dez mil unidades habitacionais e mais seis mil financiamentos para reformas que vão beneficiar 16 mil famílias e reduzir pelo menos 50% do déficit de habitação estadual, que é de 20 mil moradias. Até então o maior programa habitacional desenvolvido no Acre era de 4,8 mil unidades. Este é de 10 mil, sendo que 35% do total - 3,7 mil casas serão construídas pelo Governo Federal através do Minha Casa Minha Vida.

Também são parceiros da iniciativa agentes financiadores como o Banco do Brasil, o BNDES, a Caixa Econômica Federal, que assinou contrato de adesão com o programa do Estado, e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O Minha Morada é o mais amplo já realizado no Estado e estabelece um novo paradigma na política de habitação regional e foi lançado pelo próprio Presidente Lula em Rio Branco. "Os beneficiários são pessoas que realmente precisam de uma casa", disse o secretário Gilberto Siqueira, coordenador do programa.

Política habitacional com inclusão e geração de trabalho e renda

1entrega_minha_morada_andiroba_foto_gleilson_miranda_24.jpg
Governador Binho Marques agradeceu apoio dos moradores e falou sobre a importância dos investimentos em habitação no Acre (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Cada morador dos loteamentos Copaíba e Andiroba ganhou uma muda de árvores dessas espécies para plantar, como homenagem e símbolo da interação entre a floresta e a cidade. Foi o segundo convênio do Minha Casa, Minha Vida assinado na Região Norte. No governo Binho Marques, foram concluídos ou estão em andamento cerca de 70 canteiros de obras, com mais de 30 empresas envolvidas e pelo menos três mil postos de trabalho gerados. Foram desapropriados 105 hectares de terra para o desenvolvimento do programa. Os recursos são da ordem de R$ 360 milhões, incluindo os aportes dos Governos do Acre e da União.

Cerca de 90% das 10 mil unidades habitacionais estão sendo totalmente financiadas pelo Governo do Estado e se destinam às famílias cadastradas no CadÚnico ou que moram nas áreas de risco e fundos de vale das ZAPs. São famílias que ganham entre 0 e 3 salários mínimos. Outros 31% terão financiamento de 90%. Segundo pesquisa, 70% do déficit habitacional do Acre envolve pessoas nesta faixa de renda. As famílias não pagam nada pelas casas, mas devem seguir alguns compromissos, como manter os filhos da escola e cumprir o calendário de vacinação. As casas reúnem boas condições de moradia, com saneamento, parque, posto de saúde, escola. "Esta é uma obra de um projeto político que realmente cuida de Rio Branco", disse o vice-prefeito de Rio Branco, Eduardo Farias, ressaltando os grandes investimentos que vem sendo realizados na capital.

Muita gente acolhida no maior programa habitacional da história do Acre

Os conjuntos residenciais vêm transformando a paisagem da região onde estão sendo implantados, além de elevar a autoestima da comunidade e resgatar valores de cidadania e coletividade. Essa observação foi feita pelo presidente da Câmara de Vereadores de Rio Branco, Elias Campos: "é uma sensação de alegria porque muitas famílias estão aqui sendo acolhidas".

O QUE ELES DISSERAM

Gostei muito das casas. São boas, bonitas.
Marcia da Costa Cardoso, beneficiária, ex-moradora do conjunto Tangará

Morei no Taquari, numa região que alaga. Fui morar duas vezes nos abrigos da Expoacre por causa da alagação. Aqui é muito melhor, alto, não tem esses problemas.
Manoel Oliveira, ajudante de motorista

Passei seis anos morando de aluguel na Baixada da Colina. Eu e minha família só temos a agradecer por esta casa.
Maria da Conceição, dona de casa atendida pelo programa

Detran inicia orientação sobre as alterações de sentido devido inauguração da 4ª Ponte

Condutores devem ficar atentos para as alterações de sentido de ruas e novas sinalizações
detran_fiscalizao_01.jpg
Fiscalização intensificada na região do Complexo Viário Amadeo Barbosa (Foto : Willian Bessa/Detran)
detran_fiscalizao_02.jpg
Um total de 20 orientadores, 10 educadores e 20 agentes de trânsito que estão prestando todas as informações necessárias aos motoristas (Foto: Bruno Flangini)
Durante o período de adaptação dos condutores quanto às mudanças de sentido nas proximidades da 4ª Ponte, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) disponibiliza educadores e agentes de trânsito para orientação durante o período de 30 dias.

Nesse trabalho estão envolvidos 20 orientadores, 10 educadores e 20 agentes de trânsito que estão prestando todas as informações necessárias. O motorista Ademar Nogueira disse que é muito importante esse trabalho de orientação. "A sinalização ficou excelente e para complementar ainda tem a presença dos educadores para tirar nossas dúvidas", elogia o comerciante.

O semáforo do cruzamento de grande movimentação localizado próximo ao Supermercado Araújo do Aviário passou a ter a seguinte sequencia: o condutor que vier da Rua do Aviário pode seguir sentido Centro ou Habitasa. Já o motorista que vier da Travessa Habitasa pode seguir para o Bosque ou Invernada.

Neste local já existia um grande fluxo de veículos, que foi intensificado após a inauguração do Complexo Viário 4ª Ponte e Avenida Amadeo Barbosa.

Segundo o diretor-geral do Detran, Reginaldo Prates, as mudanças visam mais fluidez no trânsito ao proporcionar a alternativa de passagem pela 4ª Ponte, amenizando a intensidade de veículos que trafegam nas pontes Juscelino Kubitschek e Sebastião Dantas", acrescenta o diretor.

O Detran sugere que os condutores que vierem do 2º Distrito com destino aos bairros do Bosque, Aviário e Tropical utilizem, preferencialmente a 4ª Ponte.

Mudanças

Foram implantadas sinalização horizontal e vertical, bem como semáforos nos cruzamentos da Avenida Ceará com Rua Esperança/Pará e Avenida Ceará com Travessa Benjamim Constant.

Os condutores devem ficar atentos para as alterações de sentido no bairro Habitasa, especificamente nas ruas Argentina, Peru, Venezuela, Esperança, Travessas Amapá, Rio Branco e Benjamim Constant.

Detran/AC

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Acre teve o segundo menor custo para candidatos nas eleições gerais de 2010

As prestações de contas de campanha indicam que os candidatos a todos os cargos em todo o país gastaram R$ 2,77 bilhões no primeiro turno das eleições de 2010, segundo informou nesta segunda (29) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O valor corresponde a um gasto médio de R$ 20,41 por eleitor.


O cálculo não inclui os gastos dos candidatos que concorreram no segundo turno à Presidência da República e ao governo de oito estados e do Distrito Federal. Eles têm até esta terça-feira (30) para prestar contas à Justiça Eleitoral.


A maior despesa, em valores absolutos, de acordo com o TSE, foi a dos candidatos de São Paulo, estado que concentra 22,31% do eleitorado nacional. As contas prestadas por 2.552 candidatos paulistas somaram R$ 482,04 milhões. São Paulo é o maior colégio eleitoral do país, com 30.301.398 votantes. O custo médio do voto em São Paulo de R$ 15,91 por eleitor.


Segundo maior colégio eleitoral do país, Minas Gerais está logo abaixo de São Paulo no ranking de gastos com campanha. Para conquistar os votos dos 14.522.090 eleitores do estado, os 1.365 candidatos que prestaram contas revelaram despesa total de R$ 336,65 milhões. Na média, R$ 23,18 por eleitor.


O Rio de Janeiro, terceiro maior colégio do Brasil, teve também a terceira posição nesse quesito, com 1.911 candidatos que declararam ter gasto R$ 211,62 milhões para disputar o voto dos 11.589.763 eleitores fluminenses. A média foi de R$ 18,26 por eleitor. Assim como em São Paulo e em Minas, no Rio não houve necessidade de realização de segundo turno para governador.


Os dois estados que apresentaram os menores gastos de campanha ficam na Região Norte. No Amapá, os 237 candidatos gastaram R$ R$ 12,13 milhões. O estado tem 420.799 eleitores. Mas esses números devem crescer, uma vez que a eleição para governador foi decidida apenas no segundo turno. O segundo estado com menor despesa foi o Acre: R$ 15,2 milhões gastos por 315 candidatos. O estado tem 470.975 eleitores.


Gasto por eleitor - Proporcionalmente ao número de eleitores, o recorde de gastos foi em Roraima, estado com 271.890 eleitores. Os 413 candidatos que prestaram contas em Roraima declararam despesa de R$ 26,18 milhões. A média por eleitor ficou em R$ 96,30. Os valores finais serão ainda maiores, uma vez que os dois candidatos a governador que concorreram no segundo turno ainda não apresentaram suas prestações de contas à Justiça Eleitoral.


Os concorrentes de Tocantins e Mato Grosso ficaram em segundo e terceiro lugar em despesa proporcional ao eleitor, pois apresentaram gastos médios por eleitor de R$ 54,09 e R$ 54,04, respectivamente. Tocantins tem 948.920 eleitores, e os 229 candidatos declararam despesas de R$ 51,33 milhões. Já em Mato Grosso, que tem 2.095.825 eleitores, os 332 candidatos informaram ter gasto R$ 113,25 milhões. Nesses estados, a eleição foi decidida em primeiro turno para todos os cargos.


Paraíba e Pará foram os estados onde o valor dos gastos por eleitor foi o mais baixo em todo o país. Na Paraíba, para conquistar os votos dos 2.740.079 eleitores, os 327 candidatos que prestaram contas à Justiça declararam gastos de R$ R$ 26,15, uma média de R$ 9,54 por eleitor. E, no Pará, 658 candidatos revelaram gastos de R$ R$ 52,28 milhões, média de R$ 10,96 por votante, uma vez que o eleitorado paraense conta com 4.768.457 inscritos.


Deputados - As disputas para os cargos de deputado federal e deputado estadual e distrital foram as que mais consumiram recursos em valores absolutos, de acordo com o TSE. Foram gastos R$ 1,83 bilhão, ou 66,13% do total de R$ 2,77 bilhões gastos por todos os candidatos que disputaram o primeiro turno.


Para disputar uma das 513 cadeiras da Câmara dos Deputados, 4.658 candidatos em todo país declararam à Justiça Eleitoral gastos que somaram R$ 908,20 milhões. A despesa média foi de R$ 194,98 mil por candidato e de R$ R$ 6,70 por eleitor.


Goiás foi o estado que teve a maior despesa média por candidato – R$ 488,27 mil, resultado dos gastos de R$ R$ 55,17 milhões feitos pelos 113 candidatos que prestaram contas. No cálculo por eleitor, Roraima teve a eleição mais cara para deputado federal: foram gastos, em média, R$ 48,26 por eleitor.


As menores despesas médias por eleitor nas eleições para deputado federal deste ano ocorreram no Ceará, onde 114 candidatos informaram despesa de R$ 20,20 milhões para tentar conquistar o voto de 5.881.584 eleitores, uma média de R$ 3,43. Por candidato, o Amapá revelou gastos médios de R$ 65,58 mil, a menor do país.


Já para os 1.059 cargos de deputado estadual e distrital, 11,63 mil candidatos em todo o Brasil informaram gastos de R$ 924,80 milhões. Na média por candidato, a despesa foi de R$ 79,53 mil. Por eleitor, R$ R$ 6,82.


Roraima teve o maior custo médio por eleitor na disputa para a Assembleia Legislativa: de acordo com dados apresentados pelos candidatos, foram gastos R$ 32,27 por votante. A menor média foi registrada na Paraíba: R$ 3,52. O estado de Mato Grosso teve a eleição com maior média de gasto por candidato a deputado estadual: R$ 150,57 mil. A menor média por candidato a esse cargo foi em Roraima: R$ R$ 25,28.


Governos estaduais - As disputas para os governos estaduais foram as que apresentaram maiores médias de gastos por candidato. Foram gastos R$ 560,52 milhões, o que significa uma média de R$ 3,98 milhões por candidato. No cálculo por eleitor, o custo foi de R$ 4,13.


Para o Senado, 248 candidatos prestaram contas, informando a realização de despesas de R$ 353,46 milhões, média de R$ 1,43 milhão por candidato. O custo por eleitor foi, em média, de R$ 2,61.


Os dez candidatos ao Senado pelo Rio de Janeiro que prestaram contas revelaram gastos de R$ 31,58 milhões, uma média de R$ 3,16 milhões por candidato, a mais alta do Brasil. Os cinco candidatos ao Senado pelo Acre revelaram gastos de R$ 523,98 mil, o que dá uma média de R$ 104,80 mil, a menor de todos os estados.


Com média de R$ 13,57 por eleitor, Roraima apresentou a eleição mais cara do país para o Senado. São Paulo teve o menor custo médio por eleitor de todo país: R$ 0,90.


Informações do TSE e G1


Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Semana da Conciliação: mais de 359 audiências no 1º dia

O Tribunal de Justiça do Acre comemora o sucesso alcançado no primeiro dia da Semana Nacional da Conciliação no Estado. De acordo com números divulgados pela Corregedoria Geral da Justiça (COGER), foram realizadas 359 audiências nas unidades judiciárias de todo o Estado, tendo sido homologados 139 acordos, que resultaram no total de R$ 248.670,37 negociados.

A Semana Nacional da Conciliação no Acre foi aberta oficialmente na segunda-feira (29). O ato de abertura aconteceu no Fórum Barão do Rio Branco e contou com a presença do Presidente do tribunal de Justiça do Acre em exercício e do Corregedor Geral da Justiça, Desembargadores Adair Longuini e Samoel Evangelista, respectivamente.

Também participaram do ato os representantes de várias instituições, dentre eles a Desembargadora-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (Rondônia e Acre), Maria Cezarineide de Souza, o Diretor do Foro da Justiça Federal em Rio Branco, Waldemar de Carvalho e o Presidente da OAB/AC, Advogado Florindo Poersch.

Para o Desembargador Adair Longuini, o grande diferencial da Semana neste ano é a reunião da Justiça Estadual, Justiça federal e Justiça do Trabalho em um mesmo local, orientação do CNJ, que defende um trabalho irmanado entre todos os setores da Justiça brasileira. “Estamos trabalhando em conjunto e em busca dos mesmos objetivos, que é assegurar a resolução dos conflitos e restaurar a paz social”. Ele ressaltou a importância da conciliação como forma de resolver os conflitos da sociedade e restaurar a harmonia e a paz entre as partes. “A mediação tem a vertente de pacificar as partes, de maneira que eu sou um defensor dessa forma de se buscar distribuir justiça”, enfatiza o magistrado.

No âmbito do Tribunal de Justiça do Acre 2.055 audiências estão agendadas para a Semana Nacional de Conciliação, o que não impede, entretanto, que os advogados de pessoas que possuam demandas nas diversas varas e juizados procurem as unidades judiciárias para agendar audiências.

Em torno de 300 participantes, entre magistrados, servidores e voluntários, estão atuando no Movimento pela Conciliação, com o objetivo de realizar o máximo de conciliações possíveis, promovendo acordos entre as partes litigantes e a resolução rápida de conflitos.

Os trabalhos estão sendo desenvolvidos nos próprios fóruns das comarcas acreanas, no horário de 8h às 18h, junto com o expediente forense normal. Em Rio Branco, a maior comarca do Estado, o TJAC concentra a realização de audiências em dois locais: no Fórum Barão do Rio Branco, no Centro da cidade, e nos Juizados Especiais Cíveis, localizado no bairro Bosque.

O Movimento pela Conciliação, coordenado pelo Conselho Nacional de Justiça, visa tornar mais rápida e efetiva a prestação jurisdicional, além de promover a cultura da paz e do entendimento.

Para mais informações, os interessados podem ligar para o número (68) 3211.5323 - Secretaria da Corregedoria Geral da Justiça, ou enviar um e-mail para os endereços conciliacao@tjac.jus.brEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou faleconosco@tjac.jus.brEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

AGÊNCIA TJAC

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Governo corre para instalar ZPE



Sob o título “Passos de gigante” a agencia estatal de notícias do governo do Acre informa que a administração de Binho Marques [PT] instala a Zona de Processamento de Exportação do Acre – ZPE, que fica localizada entre as BRs 364 e 317, a quatro quilômetros do município de Senador Guiomard.

Segundo a reportagem assinada por Tatiana Campos no local serão oferecidas “oportunidades, desenvolvimento econômico, milhares de empregos e máquinas que trabalharão dia e noite para produzir o que o mundo estiver precisando, de preferência, produtos com valor agregado criados a partir de baixas emissões de carbono”.

A lei que cria a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) acreana foi assinada pelo presidente Lula em Brasília no dia 1 de julho deste ano, uma semana após aprovação pelo Conselho das Zonas de Processamento de Exportação.

Leia mais sobre o assunto AQUI

Tião destina R$ 75 milhões para prospecção de petróleo em florestas acreanas

Jornalista Altino Machado, em post feito no seu blog na tarde desta terça-feira, revela que os R$ 75 milhões de emendas do senador Tião Viana, para que a Agencia Nacional do Petróleo (ANP) realizasse prospecção de petróleo e gás no Acre, serão usados já a partir do próximo ano. Leia detalhes AQUI

Pesquisa mostra que crianças indígenas no Acre têm alto índice de desnutrição

A desnutrição infantil no município de Jordão, no Acre, atinge níveis próximos aos estimados para a África Subsaariana. Uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP buscou os fatores associados, na cidade, à desnutrição e constatou que a ascendência indígena de boa parte da população, a estatura baixa das mães, não estar com as vacinas em dia e o histórico de introdução de leite de vaca antes de 30 dias de vida são os principais fatores que se relacionam ao desenvolvimento da doença.

A pesquisa analisou 478 crianças de até 5 anos de idade da zona urbana e da zona rural. Após fazer as medições de peso e altura, foi constatado que 35,8% delas apresentaram déficit de crescimento, principal indicador da desnutrição. O valor encontrado é alarmante, principalmente quando comparado com a média do Brasil, de 7%. “Até em comparação com a média da região norte, de 14,8%, o valor é muito alto. É como se tivéssemos uma realidade africana em plena Floresta Amazônica, mostrando que a riqueza natural lá encontrada não consegue superar as condições sociais que influenciam na determinação desse problema”, pondera o enfermeiro Thiago Santos de Araújo, autor do estudo.

Crianças com ascendência indígena da área rural foram as que apresentaram maior índice de desnutrição, de quase 60%, e o risco de déficit de crescimento se mostrou duas vezes maior. “Apesar de não podermos descartar a influência de fatores genéticos, as diferenças observadas no crescimento de crianças com ascendência indígena podem ser melhor explicadas pela pior inserção social desse grupo, que as expõe a uma menor escolaridade, renda e acesso a saneamento básico”, explica Araújo. A altura das mães também é um fator associado à desnutrição. Os filhos de mulheres com menos de 146,4 cm apresentaram risco três vezes maior de terem o crescimento comprometido.

Segundo Araújo, o crescimento da criança revela características marcantes da falta de nutrientes já sofrida e possibilita diagnosticar a desnutrição crônica, na qual o organismo, pela baixa quantidade de energia ou pelo desvio de energia para o combate a sucessivos episódios de doenças, não consegue multiplicar as células e tecidos na quantidade adequada. “Analisamos a altura porque o peso é mais instável, já que uma alimentação inadequada por um curto período de tempo ou um episódio mórbido que modifique momentaneamente o apetite da criança já altera seu valor, revelando apenas um quadro agudo de desnutrição”, explica.

Reverter o quadro da doença e fazer com que a criança volte ao padrão de crescimento normal para a idade é possível até os dois anos de vida. De dois a cinco anos, a criança volta a crescer num ritmo desejável desde que se restabeleçam as condições ideais para o crescimento, mas já não atinge a estatura padrão que deveria caso não tivesse sofrido a carência de nutrientes. Além disso, a desnutrição acarreta problemas futuros, como o aumento no risco de desenvolvimento de obesidade e outras doenças crônicas, em virtude da relação existente entre o estado nutricional durante os primeiros anos de vida e o desenvolvimento desses distúrbios na idade adulta.

O município Jordão possui 6.539 mil habitantes (IBGE 2008) dos quais 33% possuem ascendência indígena. Em 2000, seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) era de 0,475, o penúltimo do Brasil. O sistema de saúde é composto por uma Unidade Mista, que oferece atenção básica e internações para doenças que não sejam graves, e um pólo de saúde indígena. O atendimento à população rural é itinerante. A escolha do município para realização do estudo se deu, além dessas características, em virtude da publicação das estimativas de prevalência e risco de desnutrição realizadas pelo Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (NUPENS) da USP, sob a coordenação da professora Maria Helena de Aquino Benício. Em 2000, Jordão foi apontado como o município com maior risco de desnutrição do país (44,6%) e as altas estimativas se confirmaram, já que a cidade ainda apresenta alta prevalência de desnutrição.

A dieta da população é predominantemente à base de arroz, farinha, peixe, mandioca, milho e amendoim. “Há pouca variabilidade e eles vivem do que produzem”, observa Araújo. Segundo ele, mais investimentos e ações básicas de saúde, como campanhas de vacinação e de incentivo ao aleitamento materno, são medidas eficazes na prevenção e no controle da desnutrição infantil na cidade, cuja situação é encontrada também em outros municípios. “ A desnutrição infantil persiste como um problema de saúde pública no Brasil, especialmente nos municípios do interior da Amazônia, e o estudo chama a atenção para o fato de que medidas podem reverter a situação”, conclui.

O mestrado, intitulado Desnutrição infantil em Jordão, Estado do Acre, Amazônia Ocidental Brasileira, foi orientado pela professora Marly Augusto Cardoso, do Departamento de Nutrição da FSP. Foram utilizados dados provenientes de um projeto maior intitulado Situação Nutricional no Município do Jordão coordenado pelo professor Pascoal Torres Muniz da Universidade Federal do Acre (UFAC).

Fonte: Agencia USP de Notícias
Link: http://www.usp.br/agen/

Indiano teria se casado com 60 mulheres

Um homem é suspeito de ter pedido 60 mulheres em casamento para, logo depois, vendê-las a prostíbulos, situados a milhares de quilômetros de suas cidades natais. A prisão do acusado foi anunciada nesta sexta-feira pela polícia indiana.

O chefe da polícia afirmou que o indiano de 27 anos costumava se apresentar como um soldado bem pago que queria se casar antes de voltar ao trabalho. Ele foi detido foi detido em uma região de plantações de chá no Estado de Bengala ocidental (leste).

O homem se casou com pelo menos 60 mulheres antes de vendê-las a casas de prostituição de Mumbai e Pune, no sul da Índia. Cada uma valia entre 70 mil e 100 mil rúpias (1.150 a 1.650 euros).


Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

TJAC abre seletiva para Juiz Leigo com 16 vagas

O Presidente do Tribunal do Acre, Desembargador Pedro Ranzi, fez publicar nesta segunda-feira (29) o Edital nº 01/2010 (Diário da Justiça Eletrônico nº 4.321, fls. 3 a 5), que torna pública a abertura de processo seletivo simplificado para contratação temporária de profissionais para o desempenho das funções de Juiz Leigo dos Juizados Especiais Cíveis de 14 Comarcas do Estado: Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Acrelândia, Brasileia, Assis Brasil, Bujari, Capixaba, Epitaciolândia, Feijó, Mâncio Lima, Sena Madureira, Senador Guiomard, Tarauacá e Xapuri.

A função de Juiz Leigo é destinada a bacharéis em Direito com mais de três anos de atividade jurídica, tempo este estabelecido em consonância com o art. 93, I, da Constituição Federal, com redação alterada pela Emenda Constitucional nº 45/2004.

Os requisitos, a carga horária, a remuneração e a natureza da função de Juiz Leigo encontram-se estabelecidos nos dispositivos do Edital nº 01/2010 e, ainda, na Lei Complementar Estadual no 90/2001 e Lei Federal no 9.099/1995.

Os candidatos nomeados ficarão impedidos de exercer a advocacia perante os Juizados Especiais, na conformidade do art. 7º, parágrafo único, da Lei no 9.099/1995.

Os profissionais serão selecionados para o exercício da função pelo período de dois anos, admitida a recondução por igual período, caso haja interesse da Administração do TJAC.

A presente seleção é destinada ao preenchimento de 16 vagas existentes para o encargo de Juiz Leigo no Poder Judiciário do Estado do Acre, na forma predisposta no quadro abaixo, além daquelas que vierem a surgir durante o prazo de validade do Processo Seleção

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Mulheres indígenas condenam produtores “Hollywoodianos”



As mulheres indígenas publicaram carta elaborada no Encontro Nacional de Mulheres Indígenas para a proteção e Promoção dos seus Direitos na cidade de Cuiabá, que aconteceu entre os dias 17 e 19 deste mês, manifestando repúdio e indignação contra reportagem produzida pela ONG religiosa ATINI, exibida no dia 07 de novembro de 2010 em rede nacional e internacional, no Programa do Domingo Espetacular, da emissora RECORD.

No manifesto, as mulheres explicam que “A malfadada reportagem coloca os povos indígenas como coletividades que agridem, ameaçam e matam suas crianças sem o mínimo de piedade e sem o senso de humanidade”.

Veja na integra o conteúdo da reportagem:

Nós, mulheres indígenas reunidas no Encontro Nacional de Mulheres Indígenas

para a proteção e Promoção dos seus Direitos na cidade de Cuiabá, entre os dias

17 e 19 de novembro de 2010, vimos manifestar nosso repúdio e indignação

contra reportagem produzida pela ONG religiosa ATINI, exibida no dia 07 de

novembro de 2010 em rede nacional e internacional.

No Programa do Domingo Espetacular, da emissora RECORD, foram mostradas cenas de simulação de enterro de crianças indígenas em aldeias dos estado de Mato Grosso (Xingu), Mato Grosso do Sul (Kaiowá Guarani) e no sul do Amazonas (Zuruaha), pelos

fatos e motivos a seguir aduzidos:

1. A malfadada reportagem coloca os povos indígenas como coletividades

que agridem, ameaçam e matam suas crianças sem o mínimo de piedade

e sem o senso de humanidade.

2. Na aludida reportagem aparecem indígenas atores adultos e crianças na

maior “selvageria” enterrando crianças.

3. A reportagem quer demonstrar que essas ações nocivas aos direitos à

vida das crianças indígenas são praticas rotineiras nas comunidades, ou de

outra forma, são praticas culturalmente admitidas pelos povos indígenas

brasileiros.

4. Que os produtores do “filme” desconhecem e por tanto não respeitam

a realidade e costumes dos indígenas brasileiros. São “produtores

Hollywoodianos”.

Vale esclarecer em primeiro lugar que a reportagem não preocupou em dizer

que no Brasil existem mais de 225 povos ou etnias diferenciadas em seus usos,

costumes, línguas, crenças e tradições. Essa reportagem negou aos brasileiros

o direito ao conhecimento de que na década de 1970 a população indígena não

chegava a duzentas mil pessoas ao ponto de antropólogos dizerem que no século

XX os indígenas iriam acabar.

Se de fato os indígenas estivessem matando suas crianças, a população indígena

estaria diminuindo, mas a realidade é outra, pois a população naquele momento

em decréscimo hoje chega ao patamar de 735 mil pessoas, segundo censo de

2000 do IBGE.

A reportagem que mostra apenas uma versão das informações, não entrevista

indígenas nem antropólogos que conhecem a realidade da vida na comunidade,

pois senão iriam ver que crianças indígenas não vivem em creches nem na

mendicância. Crianças indígenas são tratadas com respeito, dignidade e na mais

ampla liberdade.

A reportagem maldosa e preconceituosa feriu intensamente os direitos indígenas

nacional e internacionalmente reconhecidos, pois colocar povos indígenas

e suas comunidades como homicidas de crianças é o mesmo que dizer que

certas religiões praticam seus rituais matando suas crianças ou que a população

brasileira em geral abandona suas crianças em creches, nas drogas e na

mendicância se sem com elas se importarem. Mais, seria dizer que pais de classes

médias altas jogam dos prédios suas crianças matando-as e que é comum famílias

brasileiras em geral jogas seus filhos recém nascidos nos lixões das grandes

cidades, ou que os lideres religiosos são todos pedófilos.

Quais são as verdades dos fatos por trás das notícias caluniosas e difamatórias

contras os povos indígenas.

Não seriam razões escusas de jogar a população brasileira contra os povos

indígenas para buscar aprovação pelo Congresso Nacional brasileiro de leis

nefastas aos povos indígenas? Ao dizer que os indígenas não têm condições

de cuidar de seus filhos automaticamente estará retirando dos indígenas a

autonomia em criar seus filhos, facilitando assim a intervenção do Estado

para retirar crianças do convívio familiar indígena entregando-as a adoção

principalmente por famílias estrangeiras.

Na reportagem, o padrão de sociedade ideal é o povo americano, pois demonstrou que a criança retirada da comunidade agora vive nos Estados Unidos da América e até já fala inglês. Sociedade justa, moderna bem-feitora. Seria mesmo a “América” o modelo padrão de sociedade justa apresentado na reportagem? Vale esclarecer que a ONG religiosa ATINI e sua produtora de Hollywood têm sua sede nos Estados Unidos.

Mulheres Indígenas

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

UFAC divulga listas de classificados na 1ª Fase do vestibular 2011.

Leia mais: http://www.oriobranco.net/component/content/article/29-destaque/8694-ufac-divulga-listas-de-classificacao-da-primeira-fase-do-vestibular-ufac2011.html

Vestibular: Ufac aguarda decisão da Justiça.

Justiça Federal deve se pronunciar nesta semana para determinar a validade do concurso

A Justiça Federal deve se pronunciar até o final desta semana sobre o pedido de anulação do vestibular da Universidade Federal do Acre (Ufac). A solicitação partiu do Ministério Público Federal do Acre (MPF/AC) após a reclamação de cerca de 30 candidatos que se sentiram prejudicados durante o concurso. Leia mais: http://pagina20.uol.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=18547&Itemid=14

Oito pessoas morrem no final de semana

Oito corpos deram entrada no Instituto Médico Legal (IML) em 36 horas. O período mortal começou a partir das 16h de sábado, 27, até às 4h da madrugada de ontem, 29. Foram seis vítimas de homicídio e duas de acidente de trânsito. Os registros de mortes violentas aconteceram em Rio Branco e municípios de Capixaba e Plácido de Castro. Leia mais: http://www.agazetadoacre.com/index.php?option=com_content&view=article&id=12342:oito-pessoas-morrem-no-final-de-semana&catid=75:policia&Itemid=108

Índios fazem reféns na funasa em protesto

Cerca de 50 indígenas fecharam os portões da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) na manhã de ontem, prendendo todos os servidores em protesto contra a demora no atendimento das reivindicações entregues à coordenação do órgão.

No final da manhã, os índios liberaram os trabalhadores, mas decidiram manter o coordenador da Funasa, José Carlos Pereira Lima, como refém até o final da tarde. Os indígenas estão exigindo melhorias nos investimentos no serviço de saúde, a exoneração dos administradores das verbas no Estado e a ampliação da Casa do Índio (Casai). Leia mais:
http://www.jornalatribuna.com.br/MostrarNoticia.do?id=11289&ano=2010&mes=11&dia=30


Paracetamol pode estar ligado a alergias em crianças, diz estudo

O uso do paracetamol em crianças pode estar ligado ao desenvolvimento de alergias e asma mais tarde em suas vidas, segundo um estudo.

Mas maiores pesquisas são necessárias para esclarecer essa descoberta, e os benefícios do paracetamol para controlar a febre ainda são maiores que o potencial para o desenvolvimento posterior de alergias, disse Julian Crane, professor da Universidade de Otago, em Wellington, autor do estudo.

"O problema é que o paracetamol é dado livremente às crianças", disse ele à Reuters.

"Existem muitas provas sugerindo que algo está acontecendo aqui. Não está completamente claro, esse é o problema."

O relatório, publicado na revista "Alergia Clínica e Experimental", é baseado no Estudo Cohort em Asma e Alergia, da Nova Zelândia, que investigou o uso de paracetamol em 505 crianças na cidade de Christchurch e 914 crianças entre 5 e 6 anos de idade na mesma cidade para ver se desenvolviam sinais de sensibilidade para asma ou alergias.

"A maior descoberta foi que crianças que usam paracetamol antes dos 15 meses de idade (90 por cento) tinham mais de três vezes maior probabilidade de se tornarem sensíveis a substâncias alérgicas e duas vezes mais probabilidade de desenvolver asma aos 6 anos em relação às crianças que não usam paracetamol", disse Crane, em comunicado.

"No entanto, ainda não sabemos por que isso ocorre. Precisamos de testes clínicos para ver se essas associações são causais ou não, e esclarecer o uso dessa medicação."

Mas as descobertas mostram um risco maior para aqueles com graves sintomas de asma.

Ele disse que na falta de outras opções e estudos confirmando uma ligação causal, o paracetamol deveria continuar sendo usado por enquanto.

"Se eu tivesse um filho com febre, eu lhe daria paracetamol", acrescentou.

Da Uol ciência e saúde

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Chá Beneficente

O Grupo Mulheres Unidas pelo Quinari coordenado pela 1ª Dama do Município, Sra. Mailza Assis, realizaram neste final de semana, no SESC-Ler, o primeiro Chá Beneficente em prol das famílias carentes do Quinari.

O Grupo Mulheres Unidas pelo Quinari é formado por mulheres ligada a administração pública municipal que acompanha famílias carentes do município e preocupadas com a situação de muitas destas famílias, que não dispõe de recursos financeiros suficientes para proporcionar uma ceia natalina, organizaram-se para realizar o primeiro Chá Beneficente.

O objetivo do projeto é arrecadar fundos para doações de alimentos para famílias carentes do município de Senador Guiomard, despertando a solidariedade e o amor ao próximo.

O evento contou com a presença do Prefeito James Gomes, Secretários Municipais, Servidores da Prefeitura, Empresárias, Lideranças Religiosas, Imprensa Local, Gestores de Escolas, além de pessoas da comunidade que aderiram ao projeto social.

A animação foi comandada pelo cantor, Carlinhos Souza, que também aderiu o projeto e deu a sua contribuição alegrando o ambiente com as suas belas canções, tornando o ambiente muito mais agradável, também houve brincadeira, sorteios de brindes e ao final foi servido um delicioso banquete.

estou muito contente com a realização deste evento social, o qual foi muito bem aceito pela a população que participou ativamente deste projeto. Agradecemos o apoio recebido do prefeito James e de todos que acreditaram e fizeram desta festa um sucesso”. Declarou a 1ª Dama Mailza Assis.

Para a Secretária de Assistência Social, Profª. Elisangela Martin, que também faz parte do grupo, ressaltou que, “foram muitas as preocupações e os trabalhos de nossa equipe para que este evento atingisse os objetivos esperados, o qual contou com o apoio de muito patrocinadores, que sensibilizados com a causa, resolveram dá a sua contribuição tornando possível a concretização deste projeto, e posteriormente estaremos dando seqüência ao mesmo, proporcionando um natal mais feliz a muitas famílias de nossa cidade”.

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Cai índice de cancelamentos e atrasos de voos da TAM

Os índices de voos atrasados e cancelados nos principais aeroportos do país são baixos na manhã desta terça-feira (30), segundo balanço divulgado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Dos 515 voos domésticos programados até as 8h, 17 sofreram atrasos de mais de meia hora (3,3% do total) e 19 foram cancelados (3,7%). Entre os 32 voos internacionais, três atrasaram (9,4%) e três foram cancelados (9,4%).

Entre as 174 operações domésticas agendadas pela companhia aérea TAM, cinco atrasaram (2,9%) e nove foram canceladas (5,2%). Todas as cinco operações internacionais ocorreram no horário previsto, ainda de acordo com a Infraero.

No domingo (28) e na segunda-feira (29), houve problemas nos voos da TAM. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirmou que os atrasos e cancelamentos estavam acima da média e decidiu suspender a venda de passagens da companhia até a próxima sexta-feira (3).

Por meio de nota, a TAM informou que está seguindo as determinações da Anac. De acordo com a companhia, os atrasos e cancelamentos "foram decorrência de remanejamento na malha aérea". A TAM alega que as fortes chuvas que atingiram a Região Sudeste entre a noite de quinta-feira (25) e a manhã de sexta (26) interromperam a operação em aeroportos de São Paulo e do Rio e, por isso, parte da tripulação foi deslocada para outros aeroportos, prejudicando a escala.

No texto, a companhia também afirma que tem "um efetivo de tripulantes suficiente para atender suas operações" e que "vem realizando contratações constantemente". "Nossas equipes nos aeroportos estão prestando as informações e o apoio necessários, de acordo com as normas vigentes de atendimento aos passageiros. Pedimos novamente desculpas aos clientes e agradecemos sua compreensão", diz a nota.

G1

Grupo Silvio Santos compra parte da Tele Sena no PanAmericano

O Grupo Silvio Santos comprou a fatia da Liderança Capitalização, que responde pela criação e lançamento da Tele Sena, no banco PanAmericano no último dia 17, segundo comunicado divulgado na segunda-feira. A operação ocorreu aproximadamente uma semana após a instituição financeira anunciar um rombo que exigiu um aporte de R$ 2,5 bilhões do grupo do apresentador do SBT.De acordo com o comunicado, a holding adquiriu 60.983.906 ações ordinárias e nominativas do PanAmericano que pertenciam à Liderança Capitalização, aumentando sua participação no banco de 12% do capital social para cerca de 37%. A emissora da Tele Sena deixou de fazer parte da estrutura societária do banco."A aquisição não objetiva alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da companhia, tratando-se, apenas, de mera reorganização societária dentro do Grupo Silvio Santos", afirmou o PanAmericano em nota.Problemas contábeis
O PanAmericano anunciou em 9 de novembro que o Grupo Silvio Santos, seu controlador, iria aportar R$ 2,5 bilhões na instituição para restabelecer o equilíbrio patrimonial e a liquidez, após "inconsistências contábeis" apontadas pelo Banco Central. A autoridade monetária não forneceu detalhes, mas um processo administrativo de investigação vai apurar a origem e os responsáveis pelo problema de falta de fundos. A injeção de recursos no banco foi feita por meio do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que é uma entidade sem fins lucrativos que protege os correntistas, poupadores e investidores. São as instituições financeiras que contribuem com uma porcentagem dos depósitos para a manutenção do FGC - sem recursos públicos. A holding do Grupo Silvio Santos colocou à disposição empresas como o SBT e a rede de lojas do Baú da Felicidade, entre outras, como garantia pelo empréstimo, que tem prazo de dez anos. Especializado em leasing e financiamento de carros, o PanAmericano teve 49% do capital votante vendido para a Caixa Econômica Federal em dezembro de 2009, por R$ 739,2 milhões. O presidente do BC, Henrique Meirelles, a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho, e as empresas de auditoria que não verificaram o rombo devem prestar esclarecimentos à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Com autorização do BC, as atividades das lojas e o atendimento ao público continuam sem problemas, segundo a instituição.

Redação Terra

Sempre Um Papo com Denise Fraga e Eliane Sinhasique

O projeto Sempre Um Papo em parceria com Sebrae-Acre, realiza o encontro entre leitores e a atriz e escritora Denise Fraga, que na oportunidade lança o livro “Travessuras de Mãe”, nesta quarta, às 18h30, na sede do Sebrae-Centro.


Antes do encontro com a escritora, a partir das 17h, o Sebrae realiza a solenidade de entrega do Prêmio Mulher de Negócios e Prêmio MPE Brasil de Competitividade. Em seguida, Denise conversa com os participantes sobre sua carreira, obra, e as experiências de mulher, mãe, dona de casa, atriz e escritora.


Lembrando que o projeto Sempre um Papo é uma realização da AB Comunicação e Fred Perillo Comunicação, com patrocínio do Sebrae e Unimed, e sempre com entrada gratuita. Na oportunidade, reforçando a divulgação de obras do Acre, a jornalista Eliane Sinhasique também apresenta sua obra “Confidências Radiofônicas de Um Povo Sem Voz”.


denise_livro_papoMais de Fraga - Denise Fraga possui formação teatral e por seis anos atuou como a empregada Olímpia, no espetáculo “Trair e coçar, é só começar”. Na TV, estreou na novela “Bambolê” em 1987, mas alcançou sucesso nacional com a personagem Ritinha na novela “Barriga de Aluguel”. No programa “Fantástico”, da Rede Globo, fez o quadro “Retrato Falado”, que depois, virou livro. É casada com o diretor Luiz Villaça e tem dois filhos.


O livro “Travessuras de Mãe” traz uma seleção de 72 crônicas, distribuídas em 240 páginas, textos que a atriz publicou na revista Crescer. A obra mistura delicadeza, dúvidas, bom humor, vontade de acertar, otimismo e muito amor sobre o prazer e, muitas vezes, a completa loucura que é criar e educar os filhos. Denise Fraga vive na prática todos estes sentimentos diariamente e seus textos e reflexões fazem o leitor rir, chorar e também refletir. “Tive filho com trinta e três anos sem nunca ter trocado uma fralda. As últimas que havia visto trocar eram de pano, do meu primo Leo, hoje barbudo”, escreve. Quando sua barriga começou a crescer, Denise diz que relembrou a pequena malinha florida, que havia ganhado de sua avó, cheia de roupinhas de boneca. “Era mais ou menos igual à gaveta onde agora guardava o enxoval. Só que não era de Tippy, Manequinho ou Fofinho que ia brincar. Agora ia brincar de gente!!!”.

Mais de Sinhasique -
A radialista, jornalista e publicitária Eliane Sinhasique, é âncora do programa "Toque & Retoque", da rádio Gazeta 93 FM. Seu livro "Confidências Radiofônicas de Um Povo Sem Voz", uma coletânea com 50 histórias reais ouvidas pela pequena notável, durante os seus muitos anos de trabalho no comando de um dos programas de maior audiência da rádio acreana.
Na obra ela reúne sentimento, humor, alegria, força e muitos outros sentimentos através de histórias como a mulher mais velha se relacionando com um jovem; as confissões de uma jovem descobrindo sua homossexualidade; a mulher que foi bem sucedida e que estava sendo comendo viva por larvas; a sobrinha que era amante do tio; a garota que foi adotada e seu encontro fracassado com a mãe biológica; meninas que foram obrigadas, pela própria mãe, a se casarem ainda adolescentes, entre tantas outras. Um encontro com a realidade.

Serviços:
Sempre Um Papo com Denise Fraga – Rio Branco
e participação de Eliane Sinhasique
Data: 01 de dezembro
Local: auditório do Sebrae-Centro
Hora: 18h30
Informações: 9977 8155
Entrada Gratuita

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Há 11 meses Mâncio Lima não registra nenhum homicídio

Ações policiais intensivas com apoio do Ministério Público Estadual e poder Judiciário ajudam a reduzir crimes no município

A intervenção forte do Estado, através da Polícia Civil, produziu redução histórica nas ocorrências de homicídios, na cidade de Mâncio Lima, fronteira com Peru. "Um dos motivos é a forte atuação das forças policiais, naquela região", destaca o delegado Cleber Gnatta.

Ele ressalta que o êxito das ações teve destacada participação do Ministério Público e do Poder Judiciário, que trabalham de forma incessante nas questões sociais, debatendo com a sociedade as medidas judiciais necessárias para a redução da violência. Em 2010, por exemplo, Mâncio Lima se tornou um dos municípios mais tranquilos do Estado, em relação a homicídios, chegando a zerar, até o mês de novembro. Em 2009 ocorreram nove assassinatos.

O delegado lembra que este ano pelo menos 13 acusadas de tráfico foram presas, detenções que chegaram a ser comemoradas pela população. Cleber Gnatta lembrou que quase todos os assassinatos que ocorreram no ano passado, tinham ligação com o consumo e venda de drogas. Localizada numa região limítrofe com o Peru um dos maiores produtores de cocaína na América do Sul, Mâncio Lima é considerado corredor do tráfico de drogas no Acre, mas conforme Fernando Regis, promotor de Justiça, o trabalho das policias Civil e Militar tem sido fundamental para garantir a tranquilidade.

Regis diz que os policiais civis conseguem mostrar um bom trabalho com investigação que evita os crimes. A dona de casa, Getima Mendonça, diz que antes da chegada do delegado, do promotor e do Juiz, a cidade era muita violenta. "Tínhamos medo até de sair de casa", enfatizou.

Assessoria Policia Civil

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Em praça pública, Governo e Ufac formam 114 professores em Manuel Urbano

600 professores de comunidades de difícil acesso foram beneficiados com curso superior
os_114_formandos_receberam_o_diploma_na_praa_central_da_cidade.fotos_mardilson_gomes.jpg
secretria_de_educao_maria_corra_entrega_diploma_a_concluinte_de_matmtica_.fotos_mardilson_gomes.jpg
Secretária de Educação, Maria Corrêa entrega diploma a concluinte de matémtica (Fotos: Mardilson Gomes)

A entrega dos diplomas dos formandos do Programa de Formação Superior da Educação Básica em municípios de difícil acesso foi concluída como iniciou: em praça pública. A exemplo de Assis Brasil, os 114 formandos de Manuel Urbano receberam na noite da última sexta-feira, 26, seus diplomas na presença de milhares de pessoas na praça central da cidade. O município vai contar agora com profissionais habilitados em Letras, Biologia e Matemática.

Com pouco mais de 7 mil habitantes e apenas 34 anos de emancipação, o município de Manuel Urbano, há dez anos não contava sequer com escola de ensino médio, e o curso superior era apenas um sonho distante. Hoje a realidade é bem diferente. Com a iniciativa ousada do Governo do Estado em ofertar a modalidade em todos os municípios de difícil acesso, foi possível também oferecer a qualificação dos docentes com nível superior através da parceria realizada com a Universidade Federal do Acre. “Vivenciar este momento é uma emoção indescritível. É um prêmio que o nosso município está recebendo”, diz o prefeito Francisco Mendes.

75% dos formandos atuam nas cinco escolas mantidas pela prefeitura de Manuel Urbano. A mesma situação vivida por Assis Brasil, Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Jordão e Santa Rosa do Purus, que juntos formaram 500 professores. É o caso de Jocicleia Alves, de 27 anos, professora de Manuel Urbano. ”Uma coisa que era impossível se tornou realidade: ser licenciada em Letras. Isso me credencia profissionalmente diante dos alunos e da sociedade”.

A secretária de educação, Maria Corrêa, fez questão de lembrar aos diplomados e ao público presente das avaliações educacionais que envergonhavam o Estado em 1999, quando apontavam o último lugar do país, e que para mudar o quadro foi preciso coragem, determinação e um grande esforço. “Tudo isto se define em uma palavra: Superação. Foi preciso enfrentar desde o início, descrenças e críticas para levar ensino superior a estas comunidades, mas são vocês professores, que vão dá o tom disso lá na frente”.

Maria Corrêa também ressaltou a posição de Manuel Urbano em relação ao Ideb, que mede a qualidade da educação da escola e dos municípios, e colocava o município, em 2005, entre os piores do Acre. A nota do município dobrou em apenas quatro anos: passou de 1,9 para 3.8. “Este ano Manuel Urbano ficou entre os melhores. Esse resultado é consequência de um trabalho que vem acontecendo ao longo do curso de vocês”, constatou.

O vice-governador, Cesar Messias, destacou a importância da Ufac na formação dos professores e da parceria firmada com o Governo. “A Ufac é uma instituição forte. Tenho certeza de que vamos juntos fazer mudanças profundas na educação do Acre. Em breve seremos proporcionalmente o Estado com maior número de pessoas com curso superior”. César Messias disse ainda que aprendeu muito nos últimos quatro anos com o governador Binho Marques, se referindo a ele como sendo “O Professor do Acre”.

alunos_celebram_a_conquista.ideb_do_municipio_melhorou_ao_longo_do_curso.fotos_mardilson_gomes_188.jpg
Alunos celebram a conquista. Ideb do município melhorou ao longo do curso. (Fotos: Mardilson Gomes)

Em 2011, mais quatro mil profissionais concluirão curso superior entre professores e pessoas da comunidade, através de outra parceria com a Universidade Federal do Acre e Secretaria de Educação, para qualificar os professores da zona rural de dez municípios em cursos de História, Matemática, Biologia, Educação Física, Geografia, Letras e Pedagogia.

Outro curso oferecido gratuitamente pelo Governo à população de 15 municípios é o de Economia, também ministrado por docentes da Ufac e com término previsto para o próximo ano. Serão mais 675 profissionais capacitados para o mercado de trabalho.

Para o vice-reitor da Ufac, Pascoal Muniz, a união com o governo viabilizará outros projetos para o futuro. “Certamente virão outras possibilidades de estudos para todos, e nós vamos ajudar a trazer estas possibilidades para o interior do Acre”.

Além da Ufac, a Secretaria de Educação mantém parceria com a Universidade de Brasília(UnB) e Universidade Aberta do Brasil(UAB). Na UAB são oferecidos em oito municípios, cursos de Teatro, Música e Artes Visuais.

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454

Piscicultura, o grande negócio do Juruá

Pequeno produtor prospera e monta estrutura para produzir e comercializar dez toneladas anuais de peixe

008.jpg
004.jpg
Psicultura se torna ótima fonte de renda para pequeno produtor do Juruá.
A piscosidade do Rio Juruá e seus afluentes, lagos, igarapés e igapós fundamentou a preferência do morador da região pelo peixe. Com o correr dos anos a população aumentou, aconteceu uma pressão sobre os processos de reprodução diminuindo a reposição dos cardumes nativos, de modo que a piscicultura se tornou uma boa opção econômica.

Desde o ano de 2007, o governo do Estado vem tocando um programa de incentivo à piscicultura no vale do Juruá que já beneficiou produtores da Vila Assis Brasil, Santa Rosa, São Pedro, Ramal da Buritirana, Mariana, Sacado da Alemanha e cuja produção ajuda a equilibrar a oferta de peixe na região, etc. Embora ainda estejam longe de atender a demanda, (o que abre espaço para muita gente entrar no negócio) muitos produtores se deram bem com a atividade.

Um caso bem sucedido é do produtor Francisco Ferreira dos Santos (Chico Branco). Ele tem uma pequena propriedade nas proximidades da Vila Santa Rosa, às margens da AC-307, onde já tem seis tanques produzindo piaus, sua especialidade, embora não descarte, mais à frente, criar tambaqui também. Além dos planos de ampliação, Chico Branco está organizando a estrutura para comercialização na propriedade do peixe vivo, retirado previamente dos açudes e colocado num tanque à espera dos compradores.

Segundo contou, em 2007, recebeu de apoio do governo a capacitação e 14 horas de máquina para ampliar três pequenos poços que já existiam na propriedade. Animado com o resultado inicial, Francisco passou a andar com as próprias pernas; conseguiu financiamentos e foi construindo novos tanques. Além dos seis já produzindo, tem outro quase pronto e admite construir ainda mais um. A partir do momento em que os sete tanques estiverem produzindo, Francisco vai trabalhar com cinco mil alevinos de piau com o qual em dois ciclos (pouco mais de um ano) poderá produzir 10 toneladas de peixe anual.

O filho de Chico Branco, Vanderlei, neste ano se forma na primeira turma de engenharia florestal da UFAC Floresta e ajuda o pai a formatar a propriedade produtiva. Além da criação de peixe, o espaço da propriedade vai sendo ocupada pelos chamados sistemas agroflorestais, onde são plantadas árvores frutíferas e, no meio delas, árvores nobres da floresta num processo de reflorestamento.

Banco da Amazônia financia

Chico Branco está procurando obter junto ao Banco da Amazônia financiamento de custeio para iniciar nova safra de peixes bem como para instalar sua estrutura de comercialização. No fim de semana o gerente do Banco da Amazônia em Cruzeiro do Sul, Edemilson da Silva Souza, foi visitar a propriedade onde pode presenciar uma pequena despesca e avaliar o potencial do local para receber financiamento.

Segundo Edemilson, o Banco da Amazônia trabalha desde 1994 na região, administrando ao longo dos anos o Procera, o Prorural. Hoje o Pronaf é o carro chefe dos investimentos tendo o banco aplicado na agricultura familiar através do Pronaf R$ 4,7 milhões neste ano, um récorde. No setor de piscicultura, segundo Edemilon, o banco tem concedido financiamento para custeio. O banco está fazendo importante trabalho junto à cooperativa de piscicultores de Mâncio Lima, que prepara a documentação de maneira que vários produtores se habilitem a financiamentos.

Outro fato importante segundo Edemilson é que o banco está chegando a lugares onde ainda não havia chegado como os municípios de Porto Walter e Marechal Thaumaturgo e até mesmo a Ipixuna no Amazonas.

“Como este total de financiamento de R$ 4,7 é composto de valores pequenos a gente está de fato promovendo a distribuição de renda” – comentou Edemilson.

Ele explica que a pessoa interessada em obter financiamento via Pronaf a pessoa deve fazer o cadastro ao Pessoa. “Em Cruzeiro do Sul a gente faz questão – mesmo que o financiamento seja pequeno - de ir à propriedade ou associação e explicar como funciona, as normas do financiamento, etc”. Se o banco achar viável financiar, envia as informações para a Seaprof que faz o projeto e devolve para o banco.

Trabalho precisa avançar

O gerente da Seaprof em Cruzeiro do Sul Valdemir Neto relembra que tudo começou com um projeto tímido junto aos produtores da Vila Assis Brasil. Depois foi ampliado envolvendo vários órgãos, além da Seaprof, como o Deracre, o IMAC, a Gerência de Endemias, o Instituto Dom Moacyr, etc.

“É um trabalho que ainda tem muito que avançar, mas já está mostrando o lado positivo como é o caso do senhor Francisco. É um produtor em que o governo investiu muito pouco, mas um investimento de qualidade na capacitação. Depois, ele mesmo pediu ao governo que o ajudasse a fazer a parte do licenciamento ambiental de sua terra e o assessorasse na obtenção de um financiamento que daí ele poderia andar sozinho. Ele buscou a autonomia e conseguiu”.

Valdemir conta que a piscicultura é atividade com lucro garantido e o principal resultado que se quer com as ações do governo é fazer com que os produtores andem com as próprias pernas, tenham sua autonomia para viver com dignidade sem precisar estar sempre buscando o poder público para ter alguma coisa na vida.

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454