sábado, 22 de janeiro de 2011

De férias, na praia, cuidado com muito sol

No verão, a preocupação com sol e calor não é só quanto a queimaduras e doenças de pele. Com dias mais abafados e suor mais intenso, a desidratação é outro problema que atinge adultos, crianças e idosos. Seja qual for a idade, especialistas alertam que é importante ter atenção aos sinais de que o corpo está precisando repor o líquido, pois a desidratação pode progredir e levar à diminuição da pressão arterial e, consequentemente, desmaios e convulsões.

O cuidado com crianças e idosos precisa ser redobrado: a eles, deve ser oferecida água a todo momento. Segundo a endocrinologista do laboratório Lâmina Alinna Ferraz, apesar de os sintomas serem os mesmos de forma geral — sede, perda de elasticidade da pele e urina menos volumosa e mais escura —, a forma de perceber quadro de desidratação em idosos, adultos e crianças é diferente.

Enquanto os pequenos ficam mais irritados e menos ativos, nos adultos o sinal de que está faltando água no organismo é a sede. Já nos idosos, embora a menor perda de líquido já seja significativa para o organismo, eles não têm muita vontade de beber água. “A pessoa com mais idade tem uma menor capacidade de reter líquido, e por isso a desidratação pode aparecer mais facilmente que em adultos mais jovens. Nos mais velhos, os sinais mais aparentes são boca seca e pele menos elástica. Dificilmente vão pedir água, pois quase não sentem sede”, afirma Alinna.

Por isso, ela recomenda: além de beber mais de dois litros de água por dia, é importante usar roupas leves, procurar lugares ventilados e ingerir alimentos que vão ajudar a repor os sais minerais perdidos, como legumes, verduras e frutas.


Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel:9977-6454
MSN:
noticiaefatos@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário