domingo, 27 de março de 2011

Câmara de Infraestrutura e Logística do Agronegócio defende prioridade aos portos do Norte

O presidente da Câmara de Infraestrutura e Logística do Agronegócio, José Torres de Melo, afirmou que para resolver o colapso dos portos brasileiros é preciso priorizar os terminais das regiões Norte e Nordeste. Atualmente, segundo a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), o transporte da safra do Centro-Oeste até um porto custa quatro vezes mais que na Argentina.

"Se conseguirmos exportar por essas regiões, vamos desafogar o Sul e o Sudeste”, afirmou Melo. Escoando pelos portos do Norte do país, os produtores de Mato Grosso, por exemplo, poderiam reduzir pela metade a necessidade de transporte terrestre. Atualmente, a produção viaja cerca 2 mil quilômetros antes de ser embarcada nos navios graneleiros.

O problema para essa equação seria que a situação desses portos é ruim: “É chocante que no Porto de Belém a capacidade de exportação seja zero e que Itaqui [em São Luís, Maranhão] esteja desde 1992 da mesma forma", comentou.

Na primeira quinzena deste mês, representantes da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) e de outras entidades da Amazônia apresentaram um levantamento sobre os gargalos da logística na região. Entre as soluções apontadas melhorias nos modais transporte de portos, ferrovias, hidrovias, rodovias, dutovias e aeroportos. O investimento total proposto está na casa de R$ 14 bilhões.
Agência Brasil

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel: 9977-6454/9234-0590/8422-8854
MSN:
noticiaefatos@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário