sábado, 26 de março de 2011

SERÁ QUE ESTÁ ACONTECENDO ALGO DE ERRADO COM O NOSSO PLANETA?


A maioria dos cientistas responde a essa pergunta com um enfático “Não!”, afirmando que tudo que está acontecendo é normal. Será que tudo realmente está dentro da normalidade, ou o que está acontecendo é apenas um prenúncio de algo maior que vai acontecer?

Para este breve artigo, procurei dados e informações capazes de analisarmos, com certa cautela, se realmente estamos diante de sinais que indicam o mais esperado evento de todos os tempos: a volta de Cristo.

O site Yahoo Notícias, em janeiro de 2010, noticiou o seguinte: “Segundo estudo patrocinado pela ONU, quase 60% das cerca de 780 mil mortes em desastres entre 2000 e 2009 ocorreram devido a terremotos. Os furacões foram responsáveis por 22% do total de mortes enquanto que as temperaturas extremas causaram 11% de vítimas mortais nos 3.852 desastres registrados no período estudado. Os investigadores expressaram sua preocupação pelos desastres climáticos, cujo número foi o dobro em comparação com a década anterior.”

O irmão Michelson Borges divulgou em seu site Criacionismo, a seguinte informação: “O Japão teve 10 grandes terremotos (acima de 6,5 graus na escala Richter) entre 1900 e 2000. Entre 2001 e 2011 teve 12!”.

Semelhantemente a essas informações, o site Hypescience afirmou o seguinte: “Alguns cientistas, no entanto, afirmam que a Terra está mais ‘ativa’ nesses últimos 15 anos do que estava em um passado próximo... Apesar da grande maioria considerar que a Terra está se comportando normalmente, o número de tremores registrados é maior nos últimos 15 anos.”

Esses dados me levaram a pesquisar sobre uma passagem bíblica encontrada em Lucas, que diz: “haverá grandes terremotos... em vários lugares” Lucas 21:11. Neste verso podemos encontrar dois termos significativos que podem esclarecer algumas dúvidas: 1) haverá grandes terremotos – o termo utilizado em grego para grandes é megas, muito utilizado para descrever grandes eventos – significa dizer que haveria um aumento do poder destrutivo dos terremotos; 2) em vários lugares – o termo grego utilizado é topos, entre os seus diversos significados, está “lugar habitado, como uma cidade, vila, distrito”. Levando em consideração essas informações, conclui-se que um dos sinais da volta de Cristo é a ocorrência de grandes (megas) terremotos em lugares habitados (topos), como cidades, vilas, etc. Talvez pensando nisso foi que Ellen White escreveu: “...[Satanás] trará doenças e desgraças até que cidades populosas se reduzam a ruína e desolação. Nos acidentes e calamidades no mar e em terra, ....nos terremotos em toda parte e sob milhares de formas, Satanás está exercendo seu poder”. O Grande Conflito, págs. 637-639. “Tenho ordem de declarar a mensagem, dizendo que as cidades... serão destruídas por terremotos, pelo fogo e por dilúvio. Todo o mundo será advertido de que existe um Deus que demonstrará Sua autoridade divina. Seus invisíveis instrumentos ocasionarão destruição, devastação e morte. Todas as riquezas acumuladas serão como nada.” Evangelismo, pág. 27.

Veja esta declaração que foi publicada no site Hypescience: “De acordo com os pesquisadores, não é a frequência e nem a intensidade dos terremotos que está diferente, apenas o desastre está maior. Como? É porque os abalos estão acontecendo em lugares mais populosos.” Perceba que ela corrobora com a tese apresentada no parágrafo anterior.

É verdade que o homem começou a medir a intensidade e frequência dos terremotos há pouco mais de um século e, em termos geológicos, é pouco tempo para tirar-se conclusões. Portanto, afirmou o físico Umberto José Travaglia, técnico do Observatório Sismológico da UnB: “Não dá pra gente dizer que está numa época de tremores mais graves nem que não estamos.” R7

Essa declaração talvez seja a mais sensata. No entanto, alguns dados nos deixa em alerta, veja:

A tabela abaixo apresenta a quantidade de terremotos ocorridos entre 2000 a 2011.


Não está incluído o número de mortos oficiais do terremoto do Japão

A tabela abaixo apresenta a quantidade de terremotos ocorridos entre 1990 a 1999.




Levando em consideração os anos entre 1990 a 1999, a média de terremotos é de 19.578,2 terremotos por ano. Entre os anos 2000 a 2009 a média é de 23.250. Esse aumento não parece tão preocupante. Entretanto se atentarmos para outros dados, teremos outra conclusão: entre os anos 1990 a 1999 houve 06 (seis) terremotos acima de 8.0 na escala Richter, enquanto entre 2000 a 2009 houve 13 (treze). Um aumento de mais de 100%. Outro dado preocupante é o número de mortos. Entre os anos de 1990 a 1999 as mortes causadas por terremotos foram de 114.646 e entre 2000 a 2009 foram 471.015. Esses dados corroboram com a tese de que os terremotos seriam mais destrutivos (megas) e mortais; para o aumento de mortes a explicação é que os terremotos aconteceram em lugares mais populosos (cidades - topos).

Conclusão

Se levarmos em consideração esses dados, teremos plena convicção de que estamos muito próximo da volta de Cristo, principalmente pelo fato de que não são somente esses sinais que apontam para isso, mas uma série de outros eventos que estão acontecendo simultaneamente. Por exemplo:

Sinais na Natureza: terremotos, furacões, etc. (Mateus 24:8, Lucas 21:11 e 25-26)

Sinais na sociedade: corrupção, imoralidade, violência, etc. (II Timóteo 3:1-4)

Sinais no mundo religioso: a religião voltou ao cenário mundial e parece que veio para ficar. Recentemente a o site da Globo publicou um artigo que, em síntese, aconselhava: “Adote uma religião e seja feliz”. (Mateus 24:24).

Portanto, estamos muito próximo do fim de todas as coisas. Acredito que a nossa real necessidade não é de alarde, mas de buscar a Deus em oração e clamar por um reavivamento da verdadeira piedade entre o povo de Deus. Deseja fazer isso? Então clique aqui.

Alex Lima - Contatos: noticiaefatos@gmail.com
Twitter:@noticiaefatos
Cel: 9977-6454/9234-0590/8422-8854
MSN:
noticiaefatos@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário