terça-feira, 27 de março de 2012

Mais de 8 mil medicamentos não terão aumento em 2012

Jairo Carioca,
Com informações do Ministério da Saúde
O aumento de 6% nos medicamentos anunciado pelo governo pode pegar muita gente de surpresa. O reajuste varia entre 3,54% a 6,01%. Será o maior desde 2006. Os valores foram calculados a partir de resolução publicada ontem pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), no Diário Oficial, com normas para o aumento.
Cerca de 20.000 drogas terão seu valor afetado. Como a maioria desses medicamentos é de uso contínuo ou é utilizada em tratamentos prolongados de doenças graves, os preços são definidos pelo governo. O cálculo de reajuste de remédios leva em conta o IPCA acumulado entre março de 2010 e fevereiro de 2011.
O Ministério da Saúde fez publicar em sua página na internet, a lista de 8. 840 medicamentos que não sofrerão o acréscimo inflacionário. Eles estão distribuídos em três categorias que inclui produtos como a ritalina (tratamento do déficit de atenção), stelara (psiríase) e o antirretroviral Kaleta. Esta categoria teve, pela primeira vez desde 2003, reajuste negativo de 0,25%, autorizado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), órgão governamental composto por representantes de vários ministérios, que é responsável pela definição de preço de medicamentos no país.
A categoria de medicamentos que tem maior participação dos genéricos (na qual os genéricos têm faturamento igual ou superior a 20%), chamados de medicamentos do Nível I, sofrerão este ano reajuste de 5,85%. Os medicamentos que têm participação média de genéricos (entre 15% e 20% do faturamento) poderão ter reajuste de até 2,80%. E a categoria de medicamentos que têm menor participação dos genéricos (inferior a 15%) terá reajuste de – 0,25%.
  • Reajuste dos medicamentos nas três categorias
Categoria de medicamentos
Reajuste
Nível 1(12.499 medicamentos)
Exemplos: omeprazol (gastrite e úlcera); amoxilina (antibiótico para infecções urinárias e respiratórias)
+ 5,85%
Nível 2(1.283 medicamentos)
Exemplos: lidocaína (anestésico local); risperidona (antipsicótico)
+2,80%
Nível 3(8.840 medicamentos)
Exemplos: ritalina (tratamento do déficit de atenção), stelara (psiríase) e o antirretroviral Kaleta
-0,25%

Nenhum comentário:

Postar um comentário