quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Aposentada diz que foi contemplada com casa e enganada; Coordenador da SEHAB descobre que há duas inscrições com o mesmo nome e acha que pode ter falhas de comunicação

Jairo Barbosa
Em 2010, a desempregada Marina Rodrigues da Silva, de 60 anos, se inscreveu e meses depois “garante” foi contemplada com uma casa do Programa Habitacional Minha Casa Minha Vida, do governo do Estado, coordenado pela Secretaria de Habitação do Acre.
A mulher, que hoje mora de favor no terreno de uma das filhas, no bairro Placas, contou que por várias vezes esteve reunida com representantes da SEHAB, que encaminharam a documentação e garantiram que ela iria receber a casa.
Depois da enchente deste ano, dona Marina disse que não mais conseguiu ser atendida pela equipe da Secretaria. Ela diz que os representantes do governo levaram toda a documentação que comprovava sua contemplação e até alguns de seus documentos pessoais. Desde então, a mulher tenta reaver os documentos e conseguir colocar a mão na chave da casa própria, que sempre foi seu grande sonho.
Dona Marina ainda disse que esteve em três conjuntos habitacionais tentando saber de alguns moradores, se alguém havia identificado seu nome na lista das casas entregues.
Segundo disse um dos coordenadores da SEHAB, Islan de Albuquerque Lima, o que pode está havendo é um erro de informação ou comunicação. O servidor garantiu que a secretaria estará se empenhando para resolver possível erro em seu cadastro habitacional.
Pelo nome da senhora Marina Rodrigues da Silva, de 60 anos, Islan fez uma busca no sistema de cadastro e encontrou duas pessoas com o mesmo nome dela, sendo que uma das Marinas nasceu em 1953 e a outra em 1952. A primeira, segundo os dados da SEHAB, tem dois netos – Ângelo e Ariele – e a segunda também é avó de Isaías Carneiro, Ágata Cristi e Ananda Cristi. “Essa senhora da reportagem precisa vir aqui na secretaria me procurar que iremos verificar o que pode ter acontecido”, garantiu o coordenador de habitação.
Islan explica que “nem todos os que fazem parte dos nossos registros estão passivos de serem contemplados com as moradias populares. As inscrições são feitas e mediante a visita dos nossos assistentes sociais, fazem um levantamento sócio econômico e se tudo estiver dentro dos critérios exigidos no programa social ai sim a casa é entregue ao morador”, justifica.
O coordenador fez questão de informar, também, que “qualquer problema ou dúvidas de pessoas que fizeram os seus cadastros e que ainda não foram contempladas com as moradias, me procurem na SEHAB. Estamos aqui para bem servir e ajudar no que for preciso”, finalizou ele pedindo que a dona Marina procure a secretaria para saber o que pode ter ocorrido.
Participou Salomão Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário