sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Lideranças Indígenas denunciam que estariam sendo sitiadas por Índios arredios na Comunidade do Carapanã.

INDIO BRABO-001
Evalde Cardoso Kaxinawá
Evalde Cardoso Kaxinawá, é um dos 600 habitantes e liderança de uma das nove comunidades que compõem Aldeia Indígena Praia do Carapanã, localizada há cerca de 5 dias de subida em barco pequeno da cidade pelo Rio Tarauacá, concedeu uma entrevista à Rádio Comunitária da Cidade para levar ao conhecimento da sociedade e alertar os órgãos responsáveis pela questão indígena, que, estão sendo sitiadas por índios isolados que vivem na região.
Segundo ele, a etnia está sofrendo pressão de índios “brabos”, que estão circulando nas proximidades da primeira aldeia e teme que haja um conflito sério com esses índios. O primeiro contato aconteceu no dia 11 de novembro, quando dois garotos foram caçar, sendo cercados pelos índios arredios. Os índios arredios estariam escondidos nas proximidades da aldeia, emitindo sinais sonoros, imitando animais e teriam sido avistados várias vezes andando em grupos de homens fortes, armados com flechas. O último contato aconteceu no último dia 18 de novembro.
“Não sabemos de que tribo eles são e nem que língua eles falam. A informação que temos é que eles costumam andar em grupos formados por mais de 15 pessoas”, comenta Evalde.
Evalde diz que as lideranças kaxinawas suspeitam que índios arredios tenham intenção de saquear terçados, facas, tecidos, ou, até mesmo, invocar um conflito armado, “ relata.
Para solucionar o problema, ele argumenta que é necessário a intervenção da Fundação Nacional do Índio (Funai) e dos governos.
OS KAXINAWÁS - Palavra que significa “morcego” é uma denominação dada pelos não-índios num primeiro contato com o grupo, ainda no século 19. A lingüista Nietta Lindemberg Monte, da Comissão Pró-Índio do Acre, reproduz na apresentação do livro “Huni Kuinê Miyui” a história que os próprios índios contam:
“A primeira vez que um branco encontrou-se com um índio, este estava sem roupa e brincava com um morcego. Os brancos perguntaram quem era ele, e ele, que não entendia o português, respondeu em sua língua”:
- “Estou matando morcego”. O morcego a gente chama kaxi. Então o branco botou o nome nele: - “Sua tribo e você se chamam Kaxinawá...” Hoje, os Kaxinawá, autodenominados Huni Kuî (“gente verdadeira”).
 
portaltarauaca

Nenhum comentário:

Postar um comentário