quinta-feira, 18 de abril de 2013

Ministro Joaquim Barbosa entre os 100 mais influentes do mundo, segundo 'Time'


jbarbosa 01
Revista diz que Barbosa 'simboliza a promessa de um novo Brasil' (Foto: Arquivo)
O ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), entrou para a lista das cem pessoas mais influentes do mundo, publicada pela revista americana "Time" de 2013.
Para revista, o presidente do Supremo "simboliza a promessa de um novo Brasil" comprometido com a diversidade cultural e com a igualdade.
A revista menciona o fato de Barbosa ser o primeiro negro a chegar à presidência da mais alta Corte e destaca a importância de sua atuação no cargo.
A "Time" mostra também que Barbosa foi nomeado pelo Luiz Inácio Lula da Silva em 2003 para STF e que, para a revista, é um juiz independente, pois participou da condenação de políticos próximos ao ex-presidente no ano passado, referindo-se a José Dirceu e outros petistas, réus no escândalo do mensalão.
"Time" exalta trajetória difícil do ministro
A "Time" destaca ainda que Barbosa buscou na educação o meio de escapar da pobreza. "Um dos oito filhos de um pedreiro, Barbosa trabalhou como faxineiro e tipógrafo no Senado para se sustentar durante a faculdade de direito."
A revista também cita o doutorado que Barbosa fez na Universidade Sorbonne na França e a sua atuação como professor do Instituto de Direito da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, além de ter aprendido quatro línguas estrangeiras.
Máscara de Joaquim Barbosa foi destaque no carnaval
A "Time" lembra ainda que a máscara do ministro foi uma das mais populares no carnaval deste ano, o que, segundo a revista, é uma homenagem de um país "que importou mais escravos do que qualquer outro nas Américas". O perfil de Barbosa foi feito por Sarah Cleveland, professor de direito da Universidade de Columbia.
Em dezembro de 2012, o presidente do STF entrou para lista de líderes iberoamericanos do jornal espanhol "El País" por sua atuação como relator no julgamento do mensalão. Segundo o jornal, sua atuação foi um marco na Justiça brasileira."[Ele] não hesitou em propor duras condenações a amigos próximos do Lula".

Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário