quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Após jogo político, STF nega recurso e prefeito de Cruzeiro do Sul perde mandato

imageO agravo regimental impetrado pela defesa do prefeito de Cruzeiro do Sul (AC), Vagner Sales (PMDB), foi negado em última instância nesta quarta-feira (21) pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
Sales era réu em processo no qual é acusado, juntamente com ex-parlamentares estaduais, pela prática do crime de peculato (ato de desviar dinheiro público por funcionário que tem a seu cargo a administração de verbas públicas). O recurso era a última oportunidade para que ele seguisse na administração da cidade, que fica localizada a cerca de 696 km da capital do estado, Rio Branco.
Por telefone ao G1, Vagner Sales, que está em Brasília (DF), disse que não existem mais medidas a serem tomadas. "Não tem mais recurso, agora é esperar que seja publicado e comunicar à Justiça do Acre e à Câmara Municipal, para que eu possa deixar meu mandato", diz.
Sales afirma que foi vítima de um jogo político. "Foi um jogo politico, 27 deputados pegaram o mesmo processo na época e apenas eu fui escolhido como Cristo. Fui escolhido para pagar os pecados dos seres humanos e os pecados dos parlamentares. Saio de cabeça erguida tranquilo, consciente do dever cumprido", diz.
Vagner Sales estava em seu segundo mandato como prefeito do município. Agora, quem deve assumir a prefeitura é o vice, Mazinho Santiago.
As informações são do G1 AC, por Duaine Rodrigues e Janine Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário