terça-feira, 27 de agosto de 2013

Marina Silva entra com pedido de registro da Rede no TSE

imageA medida foi tomada mesmo sem a Rede Sustentabilidade conseguir as 492 mil assinaturas de apoio exigidas pela lei. Foi pedido ainda ao TSE que ordene aos TREs urgência no exame de assinaturas ainda não verificadas
304 mil assinaturas foram entregues ontem ao TSE
A ex-ministra Marina Silva aumentou a pressão sobre a Justiça eleitoral para viabilizar seu partido, a Rede Sustentabilidade. Marina protocolou ontem no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o pedido definitivo de registro da legenda, lastreado por documentos de cartórios referentes a 304 mil assinaturas já validadas pelos tribunais regionais. Para conseguir o número mínimo de 492 mil assinaturas exigido pela legislação para a criação de um novo partido, restam ainda 188 mil. A ideia dos articuladores da Rede é entregar ao TSE a papelada paulatinamente assim que for liberada dos cartórios.
O advogado da Rede, Gaudêncio Torquato, disse que até o dia primeiro de outubro o TSE deverá dizer se o novo partido estará ou não aprovado. Haverá, na opinião dele, tempo suficiente para que os interessados em se filiar à Rede possam fazer a opção, pois o prazo final para a troca de partido e de filiação é o dia 5 de outubro. Dos atuais deputados federais, cinco deverão se filiar à Rede: Walter Feldman (PSBD-SP), Domingos Dutra (PT-MA), Simplício Araújo (PPS-MA), Ricardo Tripoli (PSDB-SP) e Alfredo Sirkis (PV-RJ).
No requerimento de registro, a Rede pediu ao TSE que ordene aos TREs urgência no exame de assinaturas ainda não verificadas. Ao todo, a Rede coletou mais de 850 mil fichas. Descartou cerca de 200 mil e ainda teve outras 93.356 invalidadas pela Justiça eleitoral. “Já entregamos 304 mil certificadas e temos outras 220 mil nos cartórios, com mais de 15 de prazo da entrega, o que já superou o prazo legal para que elas fossem ou não validadas”, disse a ex-ministra.
Apoio de peemedebista
Marina Silva estava acompanhada do senador Pedro Simon (PMDB-RS) - que não irá para a Rede -, e que só foi ao TSE prestar solidariedade a ela. “Vim dar o apoio à senadora Marina porque ela tem o direito de criar seu partido. Não queiram impedi-la”. A ex-ministra agradeceu publicamente o apoio e disse que, quando tentaram aprovar um projeto que criava dificuldades para os novos partidos, tirando-lhes o direito ao fundo partidário e ao horário eleitoral, o senador foi peça fundamental para impedir a aprovação da proposta pelo Senado.
Marina admitiu que pode vir a ser candidata, decisão que ela vinha se negando a comentar. “Não estou no lugar de candidata. Há possibilidade de ser candidata? Sim. É apenas uma possibilidade”, disse ela, ao ser indagada se está animada para a campanha, agora que seu partido pode vir a ser registrado e com os números favoráveis a ela nas últimas pesquisas, nas quais aparece empatada tecnicamente com a presidente Dilma.
“Digo que as pesquisas registram um momento da realidade política, um momento em que os eleitores estão avaliando sua decisão. Não devemos tomar isso como algo definitivo. É um processo de tomada de decisão dos brasileiros. Mas, obviamente que as pesquisas vão fazendo as fotografias de determinados momentos das posições dos eleitores brasileiros”, afirmou Marina Silva. (Agência Estado)
NÚMEROS
304
mil assinaturas foram validadas pela Justiça para a criação da Rede
220
mil assinaturas para a criação da Rede ainda estão sob análise
850
mil foi o total de assinaturas que a Rede conseguiu coletar
As informações são do OpovoOnLine.

Nenhum comentário:

Postar um comentário