quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Saúde em ruínas: Após estalos, funcionários evacuam prédio administrativo de maternidade em Rio Branco

imageUm prédio onde funciona o anexo administrativo da maternidade Bárbara Heliodora e Hospital da Criança em Rio Branco, passa por análise pericial , após funcionários terem afirmado sentir tremores e ouvir estalos na estrutura. O Corpo de Bombeiros e um engenheiro da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras Públicas (Seop) analisam o caso e devem emitir laudo até quinta-feira (25).
De acordo com a gerente geral do hospital e maternidade, Lorena Seguel, as medidas foram tomadas após informações dos funcionários  que alegaram ter sentido tremores e escutados barulhos na estrutura. "Pedimos que os funcionários saíssem do local para que a perícia pudesse ser feita. Estamos esperando o laudo final, enquanto isso, o prédio está fechado e alguns servidores foram locados na maternidade", disse.
No anexo, funcionava o administrativo das unidades como o setor de prontuário e estatística. Também eram oferecidos serviços de saúde como o grupo de aleitamento materno, teste do pezinho e algumas vacinas.
Lorena informou que as pessoas devem procurar uma unidade de saúde para realizar os serviços que eram oferecidos pelo anexo. "Para não prejudicar o atendimento, pedimos que quem precisar desses serviços, procure uma unidade básica de saúde que também oferece esse procedimentos ", explica.
O chefe de divisão de risco da Defesa Civil, major Eden Santos, informou que aguarda o laudo do engenheiro para se posicionar sobre a segurança do prédio. "Fomos ao local com um engenheiro da Seop e aí que vamos poder nos posicionar se vai ser preciso ser interditado ou não", disse.
perdio saude interditado acre rio branco (Foto: Tácita Muniz)Funcionários foram retirados do prédio
(Foto: Tácita Muniz)
No prédio, segundo Santos, foram encontradas rachaduras e algumas fissuras na estrutura que irão passar por análise para saber se oferecem perigo à segurança dos funcionários.
O comandante do Corpo de Bombeiros, Flávio Pires, informou que uma guarnição foi ao local para verificar e fazer um relatório, porém se responsabilizou pela questão de preventivo contra incêndio e pânico. "A parte estrutural é com o engenheiro de obras, nossa missão é verificar a o preventivo e depois encaminhar o laudo para o solicitante", informou.
No momento da perícia, os funcionários tiveram que sair do prédio, de acordo com o comandante , esse procedimento é comum. A gerência, por questão de segurança, decidiu retirar os funcionários do local enquanto não sai o laudo final.
Tácita Muniz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário