segunda-feira, 14 de outubro de 2013

“80% dos presos beneficiados voltam a cometer crimes”, diz Denise Bonfim

imageNas ruas, o assunto mais comentado é o assalto a casa lotérica, na região central de Rio Branco. Após uma tentativa frustrada, dois bandidos mantiveram 25 reféns durante mais de seis horas.
Antônio da Silva Feitosa e Moisés Nascimento são os acusados. Esta não é a primeira vez que Moisés, considerado o líder da dupla, é preso pela polícia.
A última condenação do jovem de 22 anos de idade foi por tráfico de drogas. O jovem de 22 anos de idade e tem uma extensa ficha criminal.
Quando adolescente, respondeu a 11 processos. Um deles, por homicídio. Desde o início do mês, ele estava com mandado de prisão em aberto por descumprir regras do regime semiaberto.
Então, surge o questionamento: quais os critérios utilizados pela justiça para conceder benefícios a detentos do sistema penitenciário?
Quem responde é a desembargadora do Tribunal de Justiça, Denise Bonfim.
“Primeiro, o aspecto temporal da pena. O outro seria bom comportamento. Cumprindo os dois critérios ele está apto a sair para trabalhar”, disse.
Por 20 anos, Denise Bonfim atuou como juíza criminal, na primeira instância. E hoje é atual presidente da Câmara Criminal do TJ-AC. Segundo a desembargadora, para conseguir algum benefício, muitos detentos recorrem à ilegalidade.
“Eu vi muitas cartas de emprego que são dadas fraudulosamente”, afirmou. De acordo com cálculos da própria magistrada, 80% dos presos beneficiados voltam a cometer crimes.
Enquanto as leis não mudam, a população torce para que cenas como a da última quinta-feira não voltem a repetir.
Wagner Moura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário