quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Eleições 2014: “Se a oposição aproveitar o desgaste da Frente Popular, pode sair vitoriosa", diz analista

imageO 'Gazeta Entrevista' da última terça-feira, 15, recebeu quatros convidados para uma rodada de debates sobre política local e nacional. Participam do programa os analistas Carlos Augusto Coelho e Nilson Euclides; e também os jornalistas Fábio Pontes e Luís Carlos Moreira Jorge.
O primeiro assunto abordado pelo apresentador Alan Rick foi a filiação de Marina Silva ao Partido Socialista Brasileiro(PSB). Para Euclides, "união pragmática. Mostra para Marina que política se faz desta forma." Já Carlos Augusto lembrou de alguns posicionamentos da ex-senadora: "Ela dizia que não existia plano B.Neste ponto, ela foi contraditória."
Na linha contrária, o jornalista Fábio Pontes afirmou que Marina Silva é essencial no tabuleiro das próximas eleições. Luís Carlos preferiu manter cautela. "Quando a campanha começar veremos como vai se amoldurar o eleitor. Não creio que o PSB abra mão da cabeça de chapa com Eduardo Campos", disse.
Com o lançamento da candidatura de Campos, o PSB nacional entregou cargos e agora é oposição ao PT. Questionado sobre o comportamento do PSB local sobre quem apoiar, Coelho brincou: "Aqui vai ser o voto camarão. Que não tem cabeça." Os debatedores foram unânimes e não acreditam em bom desempenho de Henrique Afonso ao palácio Rio Branco.
Em relação ao pleito para o Senado Federal, Luís Carlos afirmou que o PT vai para a disputa com Aníbal Diniz e acrescentou que a candidatura dele é uma exigência nacional. Em novembro, ocorre a eleição interna da sigla e os debatedores também entraram em consenso no nome vitorioso: Ermício Sena. "O Ermício tem a caneta do executivo", argumentou Nilson Euclides.
Além de Tião Viana, cinco pré-candidatos já anunciaram que pretendem concorrer o mais importante cargo político do estado. "Vagner[Sales] está fora do páreo. Mas com essa cassação, a Frente Popular é a mais prejudicada. Ele sai como vítima", afirmou Coelho. Além de Sales, Fábio Pontes não crê que a candidatura de Tião Bocalom prossiga por muito tempo. Diferente de Moreira Jorge que aposta no ex-tucano e em Márcio Bittar no próximo pleito.
Vencer o atual governador não vai ser tarefa fácil, opinaram os debatedores. Para Carlos Augusto, "a única forma é apresentar projeto e união." Nilson Euclides foi além. "Se a oposição aproveitar o desgaste da Frente Popular, pode sair vitoriosa", finalizou.
Confira o debate: Bloco I e Bloco II (TODOS).
Wesley Moraes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário